Quarta-Feira, 24 de Abril de 2019

Ricardo Di Carlo

Ricardo Di Carlo é ator profissional em Teatro e Cinema. Possui Especialização em Metodologia no Ensino de Artes - Eixo Temático: Processos e Práticas no Ensino do Teatro. Formou-se em Arte-Dramática e em Direção de Produção Cultural. É ator, diretor, professor, pesquisador, produtor e preparador de elenco em cinema e teatro. Como pesquisador dedica-se a estudos acadêmicos na área de formação do ator, teatro e arte-educação. Nos palcos, interpretou personagens célebres, Édipo, de Édipo Rei, de Sófocles; Puck, de O Sonho de Uma Noite de Verão, de William Shakespeare, e Bibelot, de Os Sete Gatinhos, de Nelson Rodrigues. No cinema, protagonizou Kissing Death, direção de Michelle Barllet; Morte Súbita, com sua direção; e Poderosa Adoração, filme de Leandro Cavalheiro.

Ver todas as colunas

A Potencialidade Cênica de Medeia



Imagem: Medea de Eugène Delacroix

 

Representada em 431 a.C esta tragédia grega, escrita pelo célebre Eurípides  nos presenteia com uma das protagonistas mais ardilosas e magistrais de toda a história mundial do teatro, estrangeira e perseguida pelo seu passado, Medeia configura um novo tipo de personagem na tragédia grega, marcando a inserção da força de um personagem feminino no sistema teatral no mundo. 

Eurípedes articula tal feito ao fazer com que sua protagonista (a inteligentíssima Medeia) aproprie-se das características mais fortes do mito trágico da entidade Medeia.

Para quem ainda desconhece o enredo da peça leia, a postagem anterior em que faço a análise da peça de Medeia, que ao fugir do conformismo de sua situação e se desligar da justificativa dos deuses, tomando sobre si toda a responsabilidade das suas ações (antes tudo era questão de destino; articulado pelos deuses) arquiteta sua vingança de mulher carregada de amor e ódio.

Medeia é uma peça muito bem construída, com todos os traços de uma tragédia, e entra no âmago da personagem central e suas emoções. Revelando a profundidade da obra. Sem dúvidas a heroína salta aos olhos. Conquanto é possível não notar a genialidade de Eurípides na construção dos demais personagens, uma vez que, ao ler as falas dos mesmos é possível traçar o perfil psicológico de cada um deles. Ao longo da peça nenhum personagem foge de sua linha dramática tão bem definida.

É impossível não mencionar a grandiosidade da vingança do primeiro grande personagem de alma feminina, Medéia. O perfil psicológico da personagem, suas falas, suas viradas, sarcasmos e atitudes atemporais num personagem que sente tudo a flor da pele tornam a trama digna de sua grandiosidade atingida ao longo dos anos. Trata-se de uma obra que é (!) porque merece ser eterna. Um texto de enorme potencialidade cênica, tanto no que diz respeito ao trabalho do ator, no plano da interpretação, como no que concerne a esfera da encenação do espetáculo teatral em si. Falando em termos de voracidade, intensidade factual, causal. A personagem/peça tem predicados em todas as esferas do teatro; revolve as emoções humanas, e por certo consiste num grande desafio àqueles que se dedicam a remontá-la.

 










Imóveis em Jundiaí

Apartamentos

Áreas Industriais

Casas

Chácaras

Comercial

Condominios

Fazendas

Haras

Sítios

Terrenos

Anuncie seu Imóvel

O mercado de Aluguel de louças aumentou (e ficou ainda mais qualificado) de uns anos para cá. Um exemplo? Outro dia estava organizando uma lista de materiais que precisariam ser alugadas (Aluguel de louças para festas) para um festa



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Blog  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2018, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.