Quinta-Feira, 19 de Outubro de 2017

Marcelo Hindi

Marcelo Hindi é livre pensador (filósofo), Professor e Escritor. Apaixonado por livros, teatro e bom papo, está sempre com a cabeça pipocando de ideias sobre viver bem, bom humor, amizade e amor. Entusiasta da espiritualidade inata e presente em todas as culturas, pesquisa e estuda os mais variados assuntos e é colaborador do STUM, colaborador e colunista de Jornais­, autor do Blog ZerandoKarma e autor de textos avulsos espalhados pelos mais variados meios. Pacifista e conciliador, acredita que todos somos parte de uma nação ética chamada Planeta Terra.

Website pessoal: Terapia Viver Bem

Ver todas as colunas

Ano Novo - vocês estão convidados à Paz



Hoje é trinta e um de dezembro, em alguns minutos, dia um de janeiro, e ao meu redor aprecio um sem fim de festividades e comemorações de ano novo. Simpatizo com o sentimento de renovação, e, nesta data, em particular, dedicarei esta coluna a todas as amigas e amigos que queiram compartilhar comigo de uma ceia diferente- uma celebração impar. Este é o meu convite a você.

Para começar, não será exatamente uma ceia, e sim uma farta refeição, que se inicia exatamente agora; o local deste evento único é onde você estiver e para onde quiser se dirigir. Os pratos: Compaixão, desprendimento, perdão, amor, generosidade, compreensão, conciliação e paz. É uma refeição muito interessante, pois terá inicio assim que você concluir a leitura deste texto - claro, caso tenha aceitado meu convite - e terminará só quando você desejar. Não precisa terminar se não quiser. Os nutrientes são muito especiais e nenhum desses alimentos da alma é indigesto.

Todos os dias são oportunos para exercitarmos a libertação de algumas das causas do nosso sofrimento. Hoje, em particular, pela intensa expressão coletiva de celebração, me motivei a lhe chamar para realizar comigo, algumas ações renovadoras.

O ato de amor convoca o desprendimento e o perdão. Amar e se deixar amar não expressam os maiores desafios. Embora, em algumas situações, representem seu grau de dificuldade. Quando esbarramos na questão do perdão, aí sim, encontramos algumas dificuldades.

Relaxe, ame , aprecie, estime, e se deixe amar. Ouse, nesta data, além de amar e ser amado, dar um passo mais desafiador, porém libertador e capaz de proporcionar tamanha leveza e bem estar, que faz valer à pena cada esforço: perdoar.

Liberte quem está aprisionado em suas memórias como ofensor: como aquele que faltou com você, que de algum modo representou a causa de um sofrimento, alguém que você carrega em seu mundo emocional, com algum pesar. Liberte de dentro de você a pessoa a quem é atribuída a culpa, e acredite, quase que instantaneamente você se libertará de um peso enorme, das forças negativas da culpa e da condenação.

A compaixão é uma prática viável para todos, e está ao seu alcance onde quer que você esteja. Associe a compreensão do que ocorre ao seu redor, dos que estão ao seu redor, e perceba o quão formidável você é, por ser capaz de servir a outrem - vale lembrar que você oferece o que tem, o que te faz próspero por poder oferecer, sem esperar - mesmo que seja com um afetuoso e gentil olhar. Podemos compreender as alegrias e tristezas dos que estão ao nosso redor, e oferecer alívio, alimento, abraço, sorriso, e, com destaque respeito e aceitação.

A generosidade pode ser expressa de tantas e tantas formas, e nesta ocasião, um excelente exercício de humanidade e de união. Compreendemos que somos parte de uma totalidade, e embora conservemos a idéia de separação, o meio onde nos encontramos e as pessoas que estão ao nosso redor, compõem conosco, uma unidade fantástica, porém complexa e que é passível de ser harmonizada, como se o somatório de energias das pessoas, fatos, atos, e cenários, confluíssem para o equilíbrio integral (holístico). E é nesse ínterim que entra nossa generosidade.

A generosidade é a oportunidade que temos de agregar valores ao todo do qual fazemos parte. É uma oferta desprendida, em favor da harmonia desse todo. Não mensuremos as nossas ações. Apenas, e tão somente, participemos: interessados, espontâneos, francos, gentis, cordiais, respeitosos, cujas disposições são favoráveis e devotadas a essa harmonia total.

Fazer parte de um exercício como o que proponho a você, nesta ocasião, pode ser uma aventura incomparável. Crenças, zona de conforto, conveniências, comodidade, valores rígidos, enfim, muitos elementos serão provocados. E esta é uma parte divertida, pois é, além de tudo, uma chance de percebermos o quão fácil é sermos estes seres maravilhosos que somos. A paz resultante desse banquete que você aceitou viver comigo, é um dos maiores presentes do momento. A paz a que todos nós temos direito. E hoje, tudo conspira em favor dessa leveza de ser.

Queridos leitores e adoráveis amigas e amigos, obrigado por serem parte da minha vida. Aos audaciosos aventureiros que aceitaram meu convite, depois não deixem de enviar um email para contar suas experiências, e, talvez, até possamos conversar tomando um perfumado chá. Feliz ano novo a todos, com votos de paz, conciliação e profunda renovação.

Um forte abraço

Marcelo Hindi – Professor e Psicoterapeuta Holístico

contato@terapiaviverbem.com.br

www.terapiaviverbem.com.br

 










Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Blog  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2017, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.