Quarta-Feira, 24 de Julho de 2019

Douglas Sanches

Douglas Sanches é formado em Publicidade e Pós-Graduado em Marketing Digital, área em que atua profissionamente.

É apaixonado por cinema e escreve sobre cultura pop em geral. É também autor do blog Moloko Milk.

Ver todas as colunas

Crítica – A Pele que Habito e o triunfo de Almodóvar



É a volta em grande forma de Pedro Almodóvar. Um suspense dramático que não apela para sustos bobos e cenas fortes. Muito pelo contrário. Onde normalmente encontraríamos aquela trilha sonora preparando um susto iminente, ouvimos um som acalentador, suave, que ajuda a ditar a trama de forma sublime.

O suspense é muito mais psicológico e enigmático do que qualquer outra coisa. Se você leu algo sobre um“Frankenstein Moderno”, esqueça. Tirando a vontade louca do cirurgião plástico Robert Ledgard em criar uma pele resistente ao fogo, trauma pela morte sua mulher morta queimada em um acidente de carro, o longa segue mesmo como um thriller psicológico e não de esterótipos.

A charada do filme aos poucos vai se revelando e o melhor de tudo, não deixa peças soltas. É um filme que responde à todas as perguntas e o terror está encarnado nas ações bizarras que se desenrolam na tela, angustiando e desafiando até o mais libertino espectador. Marca do cineasta espanhol.

Antonio Banderas responde muito bem como o médico que vê sua vida indo por água abaixo com as perdas na família, mas quem rouba a cena é a atriz Elena Anya, no papel de Vera, a atual paciente do médico e vítima de seus anseios.

O fime é baseado no livro Tarântula, de Thierry Jonquest, o quel nunca havia ouvido falar, mas parece talhado por Almodóvar. Até mesmo nas cenas de ação sentimos o tom dramático, porém realistas, pois as ações são finalizadas, o ritmo da ação não é pausado, não existe filosofia na ação, é a atitude crua do ser humano.

Enfim, apesar de doentio e bizarro, é um filme que provavelmente agrada a todos os públicos. À mim agradou muito, surpreendido positivamente por um Almodóvar corajoso  e sem firulas. Agora vale aguardar o diretor voltar novamente ao gênero.

Minha nota: 9,0










Imóveis em Jundiaí

Apartamentos

Áreas Industriais

Casas

Chácaras

Comercial

Condominios

Fazendas

Haras

Sítios

Terrenos

Anuncie seu Imóvel

O mercado de Aluguel de louças aumentou (e ficou ainda mais qualificado) de uns anos para cá. Um exemplo? Outro dia estava organizando uma lista de materiais que precisariam ser alugadas (Aluguel de louças para festas) para um festa



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Blog  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2018, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.