Segunda-Feira, 8 de Agosto de 2022

Vander Christian

Vander Christian é apaixonado pelo mundo da leitura e escrita. Autor dos romances KARINA, PASSADO E PRESENTE, DUAS VEZES PAMELA MONTEIRO e GENTE MALA OU GENTE BOA e outras crônicas.

Redes Sociais:





Últimos artigos

Ver todas as colunas

Então É Natal



 

 

Na correria em que vivemos os dias vão passando numa velocidade incrível. As luzes natalinas espalhadas pelas lojas dos centros, indicam que mais um natal está se aproximando! Como assim? Parece que foi ontem que o ano estava apenas começando! É como diz a letra da música: Então é Natal, e o que você fez? Curioso, porque enquanto estamos no trabalho reclamamos que o dia demora para passar, mas em seguida dizemos: Nossa, o ano já está acabando!

E junto com o natal vem um pacote de situações embaraçosas para resolvermos. O convite para participar do amigo secreto da empresa, por exemplo, é a campeã de todas. Isso porque, ninguém quer limitar o preço de cada presente para não fazer feio diante dos chefes. Aí você escolhe um presente caro para o seu amigo, e em troca, ganha um bem humilde. Que situação hein?! Dentro da família vem aquela dúvida de sempre: Onde vai ser a ceia? Por mais que todos querem estar juntos, ninguém parece fazer questão de responder onde todos vão se reunir para a ceia...

São tantas dúvidas e situações para resolver, chegar num acordo, que tudo isso me faz sentir saudades do tempo de criança. As minhas preocupações de criança quando chegava essa época do ano, se resumiam basicamente no boletim escolar. A ameaça da minha mãe de que se eu não passasse de série sempre me deixou de cabelos em pé; nunca quis saber como seria a tal surra que eu ‘’jamais’’ esqueceria, como fazia questão de dizer minha mãe, caso eu repetisse a série. Outra coisa que me deixava bastante preocupado, era a apresentação de natal na escola. Todo ano tinha de vestir o gorro de Papai Noel e cantar ‘’Bate o Sino’’ e ‘‘Então é Natal’’ diante dos professores. Não gostava muito daquilo, sentia vergonha de soltar a voz, não sei. Nunca consegui entender qual era o real sentido daquelas apresentações, no entanto, era bem mais fácil cantar do que dizer que, por força maior (financeiramente) não vou poder participar do amigo secreto da empresa, ou se prontificar a bancar a ceia de natal.

Mas no final, ainda bem, tudo se resolve. Todos acabam aproveitando muito o espírito natalino. E tem que aproveitar mesmo, pois passa rápido, e de repente, já estaremos preocupados com as dívidas de começo do ano, mas isso é uma outra situação e, bem mais complicada de se resolver.  

 

Artigos anteriores:

O outro lado da deficiência

Espanto

Desafio












Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Blog  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2022, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.