Segunda-Feira, 19 de Agosto de 2019

Andrea Paiva

Andrea Paiva é Pedagoga e Pós-Graduanda em Fundamentos de uma Educação para o Pensar pela PUC-SP. Apaixonada por questões filosóficas e estudos do Ser, Andrea Paiva é poetisa e autora de livros. Atualmente é pesquisadora na área da educação através do Grupo de Pesquisa e Produção do Conhecimento - Cátedra Joel Martins PUC-SP.

Ver todas as colunas

Ninguém precisa de ninguém, mas ninguém vive sozinho



Certa vez um querido amigo, educador e filósofo chamado Ricardo Boaventura, disse-me tal frase: “não somos átomos isolados no mundo”. Fiquei encantada com tais palavras e as considero muito oportunas para elucidar meu pensamento.


Embora eu perceba que este seja o desejo e a ilusão da maioria (inclusive já foram meus), ainda não somos independentes como acreditamos ou desejamos.


Ah tá, vai me dizer que você não pensa ou nunca pensou assim: eu sou livre, independente e não preciso de ninguém! Se você nunca pensou isso, então saiba que você está enganado. Agora, se você é daqueles que pensam assim, então saiba que você também está enganado! Pois é, a vida é isso mesmo, estranha e contraditória.


Na sociedade de hoje, muitas pessoas até trocam o verbo precisar pelo verbo conviver. O que faz muito sentido, pois o verbo precisar pode demonstrar dependência, e dependência pode insinuar fraqueza. E nos dias atuais, quem é que assume a ideia de ser fraco e dependente? Ninguém!


Perceber a realidade para além das aparências não é coisa tranquila, é coisa sofrida, e admitir nossos enganos custa muito. É que às vezes o nosso Ego teima em não continuar dentro da caixinha. E como já foi dito, eu também prefiro só a ideia de convivência. Pena que a vida nem sempre imita os nossos desejos, não é mesmo?


No cotidiano, por exemplo, convivemos com o motorista de ônibus sem perceber que também precisamos dele pra dirigir o veículo que usamos todos os dias, ou de pessoas com bom senso que respeite o trânsito; do chefe que paga o nosso salário; dos clientes que compram o nosso produto e que fazem com que o nosso pequeno, ou grande negócio, continue andando.


A ideia de convivência existe, mas a necessidade de outras pessoas em nossa vida, também. Acontece que poucas pessoas assumem que precisam de outros por acreditarem que precisar de alguém é ser dependente deste alguém.


Todas as necessidades são momentâneas, flexíveis e mutáveis, mas nem por isso deixam de ser reais. Eu preciso, você precisa, nós precisamos. Que se há de fazer?


Podemos, por exemplo, não "ter chefe”? Podemos! E o mais gostoso é não ter, mas enquanto temos (ou convivemos), precisamos dele.


Precisamos viver nessa vida capitalista, urbana e cruel? Óbvio que não! Bastaria, para tanto, viver apenas da Mãe Terra. Ops, não, não. Você é livre e independente, não precisa de ninguém. Lembra-se? Inclusive da Mãe Terra, dos frutos, da água, do oxigênio e de quaisquer benefícios da natureza.


Quanto a vida social, por exemplo, você não precisa de amigos, principalmente ao sentir necessidade de palavras que te confortam. Aliás, você nem sente tais necessidades. E da família? Menos ainda, todos estão aquém de você.


Parceira ou parceiro no amor? Isso é o que você menos precisa. Até porque, sendo solteiro ou solteira, você fica com quem quiser, a hora que quiser, e se quiser. Você é uma pessoa livre! Ou seja, você julga que isso seja uma prisão.


Além de livre e independente, você é uma pessoa forte. Portanto, não chora por qualquer coisa.


Se você pensa assim, provavelmente é daquelas pessoas que preferem chorar escondidas porque acredita que expor as emoções é demonstração de fraqueza. E diante de outros, você prefere engolir o choro e fingir que está tudo bem. Isso porque, sendo forte, você nunca se sente carente e nunca passa por esse tipo de – segundo o seu julgamento – sentimentalismo antiquado. Você sempre se basta! Portanto, convive com as pessoas, mas não precisa delas.


Às vezes, eu também penso assim, eu me basto! Mas vivemos em sociedade, e ao nascermos, concordando ou não, somos literalmente obrigados a encarar tudo isso. Gostando ou não, estamos molhados do mundo, das pessoas e de nós mesmos.


Há quem pense assim: convive-se com pessoas e precisa-se de coisas, pessoas não são coisas, logo, não precisamos de pessoas. Se você compara pessoas com coisas utilizáveis, infelizmente é fácil pensar dessa forma.


Viver não é difícil, mas dá trabalho. Você, por exemplo, não precisa, mas é, em sociedade: amigo, vizinho, filho, irmão, estudante, pai, mãe, aquele, aquela, menino, moça, ele, ela, namorado, marido, eu, eleitor, passageiro, motorista, homem, mulher... Ufa! Mas quem sabe um dia você deixe de pensar que é tudo isso e passe a ser apenas você mesmo!


Pois é, ainda existe quem pense que somos uma infinidade de substantivos e pronomes. E assim como você, eu também sonho com o dia em que conseguiremos ultrapassar este modo de pensar.


Mas, ainda que isso aconteça, continuaremos nesse fluxo de necessidades e convivências. Então, não se iluda. Não somos átomos isolados no mundo, e a nossa liberdade vai até a página 2 do livro.


A gente bem que tenta burlar a escrita e até conseguimos escrever alguma coisa com nossas próprias mãos. Mas, no fundo, no fundo, sabemos que não escrevemos o livro todo. Até somos os protagonistas de nossa própria vida, mas isso não diminui a importância dos coadjuvantes.


Ninguém precisa de ninguém, mas ninguém vive sozinho. Não tem para onde correr! E mesmo que você consiga correr e se isolar do mundo, ainda assim terá a si próprio para dar conta. Ou será que você não é alguém pra você mesmo?

 

Por Andrea Paiva

contato@andreapaiva.com










Imóveis em Jundiaí

Apartamentos

Áreas Industriais

Casas

Chácaras

Comercial

Condominios

Fazendas

Haras

Sítios

Terrenos

Anuncie seu Imóvel

O mercado de Aluguel de louças aumentou (e ficou ainda mais qualificado) de uns anos para cá. Um exemplo? Outro dia estava organizando uma lista de materiais que precisariam ser alugadas (Aluguel de louças para festas) para um festa



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Blog  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2018, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.