"/>

Quarta-Feira, 20 de Fevereiro de 2019

Ângela Schiezari Garcia

Educadora física; fisioterapeuta; osteopata;
radiestesista genética; microfisioterapia em formação.
Terapeuta de self-healing,leitura biológica, pós-graduada em ginástica postural corretiva,em fisiologia do exercício e em personal training.
Estágios:
* Laboratório do Comportamento Motor da Escola de Educação Física e Esportes da USP.
* Condicionamento Físico e Reabilitação Cardiovascular na Unidade de Reabilitação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício do INCOR HC – FMUSP.
Escritora, com livro de poesias "A Real Dualidade", publicado em 2007.

Ver todas as colunas

Novas tendências da gastronomia saudável.



 

Em sua obra “Da medicina antiga” Hipócrates apresenta, talvez pela primeira vez, uma concepção da dieta ligada à saúde, também diferenciando os homens dos animais pelos hábitos alimentares.

As ideias de Hipócrates, relacionando alimentação e saúde, têm sido retomadas modernamente. Em 2002, a Organização Mundial de Saúde (OMS) elaborou um manual que denominou "Estratégia Mundial sobre Alimentação Saudável, Atividade Física e Saúde", com o objetivo de prevenir e orientar as pessoas.

No Brasil, esse manual originou uma ação do Ministério da Saúde denominada "10 Passos para a Alimentação Saudável", que ajudou na redução de algumas doenças relacionadas ao sobrepeso e à obesidade.

Apenas em 2010, em decorrência de doenças contraídas por consumo de alimentos, 420 mil crianças morreram; entre elas, 125 mil abaixo de cinco anos, de acordo com relatório publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS, 2016).

Com o objetivo de aumentar a conscientização e promover ações para manter segura toda a cadeia alimentar, a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) elegeu o tema “Do campo à mesa, obtendo alimentos seguros” para marcar o Dia Mundial da Saúde 2015, comemorado no dia 07 de abril. Segundo a OPAS/OMS, a boa nutrição é fator decisivo para a garantia da boa saúde. Desde o nascimento, as pessoas necessitam de alimentos para sua sobrevivência e a qualidade destes é fundamental.  “A segurança alimentar e a boa nutrição são indissociáveis. O consumo inadequado de determinados tipos de alimentos ou ingredientes, como excesso de sal, açúcar e gorduras, podem levar a ocorrência de algumas doenças crônicas, como o diabetes e a hipertensão. Paralelamente, a prática de atividades físicas também é essencial para a saúde de qualquer indivíduo”, conforme publicou a agência da ONU em um comunicado.

No Brasil, a OPAS/OMS ampliou o tema e celebra o Dia Mundial da Saúde incentivando o consumo de alimentos seguros, a alimentação saudável e a prática de atividades físicas simultaneamente. Alimentos não seguros geram um círculo vicioso de doença e desnutrição que afetam particularmente os indivíduos mais frágeis, como crianças, idosos e doentes. Os alimentos saudáveis são a chave para uma boa saúde; por outro lado, os alimentos não seguros contendo bactérias, vírus, parasitas ou substâncias químicas prejudiciais à saúde são a causa de mais de 200 doenças. As doenças diarreicas, por exemplo, matam cerca de 2 milhões de pessoas por ano. Essas enfermidades prejudicam a produtividade, sobrecarregam o sistema de saúde pública, além de impedirem o desenvolvimento socioeconômico, com prejuízo da economia nacional, do turismo e do comércio. Uma das iniciativas da OPAS/OMS é a promoção da manipulação segura dos alimentos, por meio de programas sistemáticos de prevenção e conscientização (OMS, 2016).

A escolha do que se coloca na mesa é tão relevante que motivou a seguinte afirmação de Brillat-Savarin: “O destino das nações depende daquilo e de como as pessoas se alimentam”.

 












Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Blog  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2018, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.