Sábado, 20 de Abril de 2019

Marcelo Hindi

Marcelo Hindi é livre pensador (filósofo), Professor e Escritor. Apaixonado por livros, teatro e bom papo, está sempre com a cabeça pipocando de ideias sobre viver bem, bom humor, amizade e amor. Entusiasta da espiritualidade inata e presente em todas as culturas, pesquisa e estuda os mais variados assuntos e é colaborador do STUM, colaborador e colunista de Jornais­, autor do Blog ZerandoKarma e autor de textos avulsos espalhados pelos mais variados meios. Pacifista e conciliador, acredita que todos somos parte de uma nação ética chamada Planeta Terra.

Website pessoal: Terapia Viver Bem

Ver todas as colunas

O Artesão de si próprio



Qual sua motivação para querer evoluir, progredir, se superar e superar limites? Você nutre a idéia de que é um ser imperfeito que tende à perfeição? Acredita que sua vida é amarga e quer uma vida suave, doce e harmoniosa? Você considera que é um "eu inferior" e quer se tornar ou conquistar o status espiritual de "eu superior"?

Sob essas diretivas a motivação de superar os próprios limites - de progredir - parte de um estado de insatisfação e se dirige a um estado (projetado, imaginado) de satisfação e realização. Ok, motivação é motivação, e se nós nos movemos em favor da nossa realização integral, consideremos válida, pois objetivamos que você realize a beleza e a harmonia de sua existência - a divindade em você ; objetivamos que você realize a sua infinita essência e possa ser livre da ilusão e do sofrimento, participar do todo social, universal, em paz, feliz, com disposição e com a autonomia para amar, servir, aprender, interagir de forma nobre e realizadora. 


Mas tenho uma dica - podemos considerar até uma recomendação, se você permitir - parta da aceitação para a vontade de realização. Explico: vi muitas pessoas que escolheram a progredir porque não aceitavam a vida que levavam e nem a si próprios. Indivíduos que partiram de uma rejeição de suas realidades, para buscar uma satisfação que compensasse seus sentimentos de rejeição de si próprios e de suas vidas. 

O que houve? Sofreram e sentiram sem norte várias vezes, pois partiram do desamor, para realizar a evolução determinada pela vontade. E este é um caminho do amor. Se não houver amor, haverá dor e muitos tropeços. Recomendo que ame seu ponto de partida, seu presente, e a partir desse amor, defina uma meta bem Clara de crescimento e progresso. 

Alguém pode indagar: "Mas Marcelo, como amar essa realidade dura que vivo? Como amar essa natureza inferior que expresso em minha vida?", Respondo com satisfação que você é um Ser divino. Não há um Eu inferior e um Eu Superior. Não há maior ou menor. É só uma questão de linguagem, para facilitar compreensão holística. 

Essa natureza "inferior, imperfeita" e esse "eu inferior", além da vida como se apresenta, te trouxeram até esse momento. Você não chegaria à autêntica vontade de progredir e de modificar o modo que vive, a sua relação com você e com o seu entorno, se não fossem esses elementos. Além disso, o que é entendido como aspectos imperfeitos, defeitos impulsos, desordem, são a matéria prima para realizar o despertar - a sublime obra do ser humano integral. 

Pense no artesão, talentoso como é, que não rejeita o barro que usará para modelar um belíssimo vaso. Você considera um artesão tendo raiva do barro? Da matéria prima? Como poderia? O barro é o belíssimo vaso em potencial! Um artesão começa com a matéria prima em estado bruto, sendo um sem fim de obras de arte em potencial, modelado com destreza, mas com respeito e carinho sua matéria prima. 

Essencialmente você é o artesão, e tudo que você rejeita é o barro que você usará para modelar o Ser Integral que você é - o eu saudável, realizado e participativo. Portanto, parta da aceitação. Se achar difícil amar a si próprio, sua vida e sua relação com a vida, neste momento, ao menos tente aceitar. 

Você é uma obra de arte, de tamanha beleza, de tamanha perfeição e singularidade, e é, exatamente agora, juntamente com sua vida, a matéria prima que encerra em si essa obra de arte perfeita, e ainda por cima, é o hábil artesão de si próprio. Aceite: parta da aceitação, do reconhecimento, para chegar ao amor e realizar a obra mais perfeita e linda do mundo: Você! Um grande abraço. 

Marcelo Hindi – Professor e Psicoterapeuta Holístico 

contato@terapiaviverbem.com.br 

www.terapiaviverbem.com.br 












Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Blog  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2018, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.