Domingo, 24 de Junho de 2018

Ítalo Lima

24 anos. Nasceu em Teresina-PI. Sobrevivente de angústias. Adora escrever sobre a solidão, ex amores, pinta angústias e aflições trazidas no peito. Formado em Publicidade e Propaganda, pós-graduando em Literatura e Linguística. Acredita piamente que somente a solidão te cura do outro. Vende quadros, autor do livro: Quando a gente se mata numa poesia (lançando na Bienal do Rio 2017).

Ver todas as colunas

Para J



olha,
como o céu 
muda de cor
de uma maneira
tão fugaz - lembra
daquela chama
veloz iluminando 
os nossos passos?
não sei explicar
porque decoramos
juntos o testamento
do absurdo, talvez
seja porque o amarelo
pintado nas sombras
seja melhor vivido
em dias sem dor
 
/
 
olha,
não fica assim
tão aflito, os dias
são esses socos
que a gente leva
de ponta a cabeça
respira um pouco
mais devagar
repara mais uma
vez na rapidez
que o céu muda
de cor, repara
bem teus olhos
fundos na imensidão 
da agonia
cuida bem das
tuas cicatrizes
o escuro da gente
amanhã amanhece
 
/
 
olha,
eu vou te contar
um segredo,
mas ouve com
bastante cuidado
lembra do amarelo
deixado no caminho?
agora, ele anda de
mãos dadas com a
saudade que de ti carrego
eu quero mesmo me
eternizar nos teus olhos
que até hoje ninguém
descobriu a cor!
 
Ítalo Lima











Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Blog  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2018, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.