Domingo, 18 de Agosto de 2019

Davi Junior

Davi Simão, 28 anos, publicitário, jornalista e especialista em Gestão de Marketing. Fã de animação japonesa e um entusiasta da cultura pop mundial desde que se entende por gente.

Ver todas as colunas

Todo-Poderoso: Jim Carrey foi o cara, mas poderia ter sido outro



Título original:Bruce Almighty
Gênero:Comédia
Duração:01 hs 34 min
Ano de lançamento:2003
Site oficial: http://www.brucealmighty.com/
Estúdio:Universal Pictures / Pit Bull Productions / Shady Acres Entertainment / Beverly Detroit / Interscope Communications / Partizan
Distribuidora:Universal Pictures / Buena Vista International / DreamWorks Distribution LLC
Direção: Tom Shadyac
Roteiro:Steve Koren, Mark O’Keefe e Steve Oedekerk
Produção:Michael Bostick, James D. Brubaker, Jim Carrey e Tom Shadyac
Música:John Debney
Fotografia: Dean Semler
Direção de arte:James Nedza
Figurino:Judy L. Ruskin
Edição:Scott Hill

Todo Poderoso não é o filme mais engraçado de todos os tempos, mas sua mensagem final justifica seu sucesso.

O filme conta a história de Bruce Nolan (Jim Carrey) que após perder a disputa para ganhar o posto de âncora do principal telejornal da emissora de TV onde trabalha para seu rival em pleno ar, ser demitido, apanhar de skin-haeds após ajudar um mendigo e brigar com sua esposa (Jeniffer Aniston) tem um enconro um tanto quanto inusitado com  Deus (Morgan Freeman).

Devido as calúnias e blasfêmias que lançou ao Onipresente (que em sua primeira aparição surge como Zelador, eletricista e patrão ao mesmo tempo), este oferece um emprego irrecusável ao Bruce: ser Deus por um dia.

A partir daí, o ex-repórter se torna um humano onipotente, pregando peças em todos aqueles que o fizeram algum mal e se divertindo com sua mulher e todos aqueles que foram legais com ele.

Conforme o tempo vai passando, Bruce percebe a importância e as responsabilidades do trabalho de Deus para o mundo e se arrepende de ter sido tão injusto com Ele quando se viu envolto por problemas pessoais.

Já sem poderes de Deus, Bruce começa a arrumar todos os problemas que arranjou como Todo-Poderoso e também os que precederam a esse tempo. É assim que ele finalmente entende as palavras do Onisciente: “Se você quer um milagre, então seja o milagre”.

 

Jim Carrey tem uma graça natural, acima até mesmo de suas performances mais carismáticas, mas faz tempo que o eterno Máscara não consegue um papel que explore todo o seu potencial e Todo Poderoso não é uma excessão.

O filme não exigiu uma alta performance por parte dos atores. Tanto o enredo quanto os personagens são simples. Se Will Smith ou Adam Sandler tivessem feito o papel do protagonista os resultados de bilheteria conseguidos graças a sua bela campanha publicitária seriam as mesmas.

O filme não prima pelo texto humorístico mas por trazer valores como perseverança e fé até as pessoas de uma forma leve e convidativa, características que faltam na maioria dos filmes humorísticos adultos dos últimos tempos. Talvéz essa carência do cinema humorístico também seja o fator principal que tem atraído tantos marmanjos a assistir desenhos animados no cinema nos últimos anos.










Imóveis em Jundiaí

Apartamentos

Áreas Industriais

Casas

Chácaras

Comercial

Condominios

Fazendas

Haras

Sítios

Terrenos

Anuncie seu Imóvel

O mercado de Aluguel de louças aumentou (e ficou ainda mais qualificado) de uns anos para cá. Um exemplo? Outro dia estava organizando uma lista de materiais que precisariam ser alugadas (Aluguel de louças para festas) para um festa



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Blog  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2018, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.