Segunda-Feira, 9 de Dezembro de 2019

27/11/2019 - Jundiaí - SP

Crianças passam por testes visuais nas EMEBs




da assessoria de imprensa da Prefeitura de Jundiaí

A Unidade de Gestão de Educação (UGE), a partir de parceria com a Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ) e Instituto Luiz Braille, deu início à realização de testes de acuidade visual em 15 mil estudantes da rede de Educação Básica da cidade.

A ação, multiplataforma, tem como objetivo identificar a prevalência de visão subnormal e cegueira de crianças entre 2 e 6 anos, bem como suas causas, os fatores socioeconômicos associados e a proporção de casos reversíveis. Todos o casos que apresentarem alterações serão atendidos e tratados gratuitamente nos equipamentos integrantes da rede de Saúde da Prefeitura de Jundiaí.

O projeto não impacta em custos para a administração municipal, já que os professores foram treinados pela equipe do Instituto Luiz Braille (no período de 21 a 25 de outubro de 2019 no auditório do Complexo Argos) para realizar a aplicação da escala optmétrica de Snellen e Tabela Lea, sendo toda a avaliação especializada realizada pelos profissionais da instituição.

O encaminhamento para a consulta será direto, portanto, qualquer deficiência visual identificada nos questionários preenchidos pelos professores será avaliada por especialista, sem fila de espera. “O cuidado com a saúde das crianças também é parte do Programa Escola Inovadora. O aluno que tem dificuldade na visão tem os desenvolvimentos psicossocial e de aprendizagem comprometidos”, argumenta a gestora da UGE, Vasti Ferrari Marques.

A prevenção da deficiência visual infantil é uma das cinco prioridades da Iniciativa Global da Organização Mundial de Saúde (OMS)/Agência Internacional de Prevenção da Cegueira “Programa visão 2020”. Para a OMS, 80% dos casos de deficiências visuais podem ser evitados. “A identificação – até os 6 anos de idade – de deficiências e problemas visuais reduz a incidência de agravos e comprometimentos na vida adulta”, explica o médico do Instituto Luiz Braille, Everton Lima Gondim.

Mariana Delboni Procópio, 6 anos, aluna da EMEB Ivo de Bona, passou pelo teste de acuidade. “Eu achei o teste muito bom e serviu para eu saber que não consigo enxergar as letras pequenas”, contou a menina logo após passar pela leitura da escala optmétrica.

Francisco Madyson Ávila de Assis, 7 anos, nunca havia feito teste visual antes. “Eu não acertei todas as letras no teste. Na aula, às vezes eu acerto, e em outras eu erro”, contou o garoto. Já Arthur Augusto Barros Correa, 6 anos, percebeu diferença na visão. “Com um olho fechado e outro aberto, as letras ficam pequenas”, explicou.



Comunicar erro nesta notícia

Se você encontrou erro nesta notícia, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente ao Jundiaí Online.


Enviar esta notícia por email

Imóveis em Jundiaí

Apartamentos

Áreas Industriais

Casas

Chácaras

Comercial

Condominios

Fazendas

Haras

Sítios

Terrenos

Anuncie seu Imóvel

O mercado de Aluguel de louças aumentou (e ficou ainda mais qualificado) de uns anos para cá. Um exemplo? Outro dia estava organizando uma lista de materiais que precisariam ser alugadas (Aluguel de louças para festas) para um festa

O serviço de locação para festas esta na zona sul em São Paulo.Sendo do ramo de locação para festas.



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Blog  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2018, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.