Segunda-Feira, 19 de Outubro de 2020

5/12/2011 - Jundiaí - SP

Matéria do Leitor - A próxima revolução do mercado consumidor




cada nova geração tecnológica que surge, o mercado consumidor é varrido por novas tendências, um leque de possibilidades e novas oportunidades despontam para serem exploradas obrigando as empresas que desejam continuar na vanguarda de suas respectivas áreas a se adaptarem a uma nova realidade de mercado.

Poucos acontecimentos tiveram um impacto tão significativo na sociedade como o surgimento da Internet. Estar conectado significava continuar presente em um lugar no qual você já não se encontrava fisicamente ou ainda se fazer presente em lugares impossíveis de se estar.

Com o passar do tempo novas utilidades para rede foram sendo descobertas, a rápida disseminação de informações e a possibilidade de atingir o público de maneira imediata passaram a chamar a atenção de empresas e prestadores de serviços que viram na internet uma oportunidade de ampliar os negócios de maneira rápida, lucrativa e com custo amplamente inferior.

O feedback proporcionado pela Internet potencializou ainda mais a relação on-line entre empresas-clientes/consumidores. Era o boom do e-commerce, uma nova era de mercado surgia.

Com o ritmo de vida cada vez mais alucinante das pessoas, o e-commerce chegava para ficar. Oferecendo praticidade, rapidez e eficiência, tudo que o trabalhador da sociedade moderna precisa e deseja, caiu rapidamente no gosto popular e em pouco tempo empresas e comércio dos mais variados tipos aderiram às vendas on-line.

Contudo acompanhar a evolução tecnológica não é tarefa fácil. A medida que a tecnologia evolui, a necessidade das pessoas de estar constantemente conectado aumenta.  Toda hora é hora de checar os e-mails, seja no trabalho, na hora de almoço em uma cafeteria ou na condução a caminho de casa, estar bem informado ou interagindo nas redes sociais se tornou uma necessidade constante.

Pensando nisso, na nova geração de tablets e celulares e no investimento cada vez maior no sistema de conexão móvel com Internet é que uma nova modalidade de comércio eletrônico começa a ganhar força, o Mobile Commerce.

Mobile Commerce é toda e qualquer operação que envolva a transferência de propriedade ou de direitos de utilização de bens e serviços, que é iniciado e / ou concluído com a utilização de dispositivos móveis.

A Internet, que já era uma enorme vitrine publicitária, viu esse efeito aumentar de maneira exponencial com o crescimento das redes sociais, que são as principais aliadas do m-commerce já que usuários, que são clientes em potencial, utilizam as redes para saberem a opinião de terceiros sobre um mesmo produto e todos sabemos o que acontece quando um consumidor adquire algo e fica satisfeito; ele conta aos amigos. E que maneira melhor de fazer isso se não nas redes sociais, onde todo o ciclo de amizades está ao alcance de um clique?

O principal mérito do e-commerce foi transformar o relacionamento dos comerciantes com seus clientes e esse será o principal desafio do m-commerce nos próximos anos, embora os números já sejam animadores. Os números relacionados ao comércio móvel do Paypal por exemplo são bem significativos; as transações feitas por dispositivos móveis aumentaram seis vezes em apenas um ano, de US $ 25 milhões em 2008 para US $ 141 milhões em 2009.

O valor total dos pagamentos móveis em todo o mundo deve quadruplicar, passando de US $ 170 bilhões em 2010 para 630 milhões dólares americanos em 2014, de acordo com a Juniper Research.

O m-commerce oferece ainda possibilidades únicas em relação às demais formas de comércio eletrônico. Considerando que seus principais veículos são smartphones e tablets o comércio eletrônico pode ser feito de duas formas: sites digitados ou aplicativos a serem instalados nos aparelhos.

Segundo o diretor sênior de Merchant Services no Paypal, Bill Zielke, “Desenvolver uma experiência de compra pelo celular é mais arte do que ciência, layouts com botões grandes, o mínimo de texto, rolagem e um checkout rápido são fundamentais para a conversão”

Para empresas que desejam uma Interface mais elaborada a melhor opção são os aplicativos, que trazem ainda a vantagem de serem elaborados para um hardware e sistema operacional específico.

Já a web móvel traz a vantagem de não ser tão específica e fragmentada, oferecendo uma variedade imensa de opções de tudo que se procura e conta ainda com uma maior flexibilidade e alcance de público.

Fato é que ambas as opções surgem como ótimas alternativas para um nova realidade de mercado que certamente acompanhará a tendência do seu antecessor e-commerce e de suas parceiras redes sociais que chegaram para ficar. E as empresas que souberem aproveitar essas tendências e integrarem suas lojas e ações de mercado, certamente sairão na frente.

 

Por Luciano Mayeda



Comunicar erro nesta notícia

Se você encontrou erro nesta notícia, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente ao Jundiaí Online.


Enviar esta notícia por email

Imóveis em Jundiaí

Apartamentos

Áreas Industriais

Casas

Chácaras

Comercial

Condominios

Fazendas

Haras

Sítios

Terrenos

Anuncie seu Imóvel

O mercado de Aluguel de louças aumentou (e ficou ainda mais qualificado) de uns anos para cá. Um exemplo? Outro dia estava organizando uma lista de materiais que precisariam ser alugadas (Aluguel de louças para festas) para um festa

O serviço de locação para festas esta na zona sul em São Paulo.Sendo do ramo de locação para festas.



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Blog  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2020, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.