Segunda-Feira, 23 de Outubro de 2017

21/2/2011 - Jundiaí - SP

Obras no Velório Adamastor Fernandes visam o conforto térmico




da assessoria de imprensa da prefeitura de Jundiaí

Inaugurado em 2002, o Velório Municipal Adamastor Fernandes recebia reclamações devido ao calor enfrentado pelos munícipes que precisavam velar seus entes queridos. Com o objetivo de oferecer melhores condições às pessoas que utilizam o local, a Fundação Municipal de Ação Social (Fumas), que administra o Serviço Funerário Municipal, realiza as intervenções que contemplam o conforto térmico do velório.

Para isso uma das alas está inoperante e em obras. O intuito é não interromper o atendimento à população e evitar o máximo de incômodo para os munícipes que precisam utilizar os serviços do velório municipal. “Sabemos que a morte é um dos momentos mais difíceis de ser enfrentado, mas as obras são necessárias, para isso fechamos uma ala de cada vez e evitamos provocar altos ruídos durante os dias de grande movimento, pois velar um ente querido é muito doloroso e merece respeito”, comentou o Superintendente da Fumas, Ademir Pedro Victor.


Dividida em três etapas, a obra iniciou com a reforma dos banheiros e impermeabilização das floreiras. Atualmente segue com as novas instalações na primeira ala do velório, que já conta com nova estrutura que proporciona a melhoria da sensação térmica, principalmente em dias quentes.

O local recebeu um lanternin – estrutura metálica – com dois metros de altura que, em conjunto com os vidros basculantes instalados nas paredes laterais, promove a circulação mais eficaz do ar, o que conduz passivamente a saída do ar quente. “A troca dos vidros fixos para os basculantes e o pé direito (altura) maior da área central proporcionam um movimento em que o ar quente é ‘empurrado’ para fora das alas do velório”, explicou Ademir.

Além de facilitar a saída do ar quente, a reforma também contempla mais claridade para o velório. Em conjunto com o lanternin e os vidros basculantes, será instalada brise soleil, espécie de persianas que permitem a penetração de ar e claridade, mas evita a incidência de calor e deixa o local com iluminação mais natural.

A sustentabilidade e a preocupação com o meio ambiente também são contempladas nas obras do velório. O telhado da ala em intervenção foi substituído por telhas de alumínio branco, com miolo de lã de rocha, que exerce a função de uma manta térmica. “O material será utilizado na outra ala também. Com isso conseguimos reduzir a energia e evitamos a geração de resíduos”, comentou Ademir.

A preocupação com o meio ambiente está presente desde as primeiras intervenções no Velório. A primeira etapa contemplou a reforma dos sanitários masculino e feminino que atendem a população, que recebeu torneiras e saboneteiras com acionamento automático da água, por sensor de presença.

No banheiro masculino a saída água do mictório utiliza a mesma tecnologia, sendo acionada automaticamente. Essas melhorias promoveram a economia de água. Outra preocupação foi proporcionar acessibilidade para os cadeirantes”, explicou o Diretor do Serviço Funerário, Claudio Dianin.



Comunicar erro nesta notícia

Se você encontrou erro nesta notícia, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente ao Jundiaí Online.


Enviar esta notícia por email
Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Blog  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2017, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.