Quarta-Feira, 23 de Setembro de 2020

14/9/2020 - Jundiaí - SP

Orçamento 2021 prioriza investimentos na área social




da assessoria de imprensa da Prefeitura de Jundiaí

As áreas sociais de Educação, Saúde, Esporte e Lazer, Cultura, Segurança e Assistência Social ficam com mais da metade do total do orçamento do próximo ano – 53,7%, de acordo com dados apresentados durante a audiência pública da Lei Orçamentária Anual (LOA) 2021, realizada nesta sexta (11), no auditório do Paço. O orçamento total proposto para 2021 será de R$ 2,58 bilhões –  retração de 3,3% em relação ao exercício anterior.

Neste ano, a apresentação contou apenas com a presença dos gestores municipais, de modo a prevalecer o distanciamento social demandado pela pandemia. Para garantir a transparência e participação do público, a transmissão ocorreu via YouTube da Prefeitura e canal 24 da NET, também foi disponibilizado e-mail para o envio de sugestões.

As obras em andamento terão prioridade para que sejam concluídas e entregues em 2021, tais como a construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Vila Hortolândia, juntamente com uma Clínica da Família, com atendimento a toda grande região da Vila Hortolândia e bairros adjacentes. Também terão sequência as obras de reformas de UBS, para adequação dos espaços físicos e melhoria do atendimento à população, assim como terá início a obra da Unidade de Pronto Atendimento da Ponte São João.

Na área de educação, também terão continuidade as reformas de escolas e a conclusão da escola Joaquim Candelário de Freitas, para o início do ano letivo de 2021, entre outras ações. Além disso, serão concluídas diversas obras de pavimentação que estão em andamento como a Rua 8, no Novo Horizonte, Julius Pauli e Caetano Fagundes, na região do Caxambu, e a ligação da Avenida Samuel Martins com a 14 de Dezembro, na Vila Progresso, além da revitalização dos viadutos Romão Nasser, da Avenida Jundiaí sobre a 9 de Julho e o viaduto da Ponte São João.

Na audiência desta sexta, os gestores da Saúde, Educação, Assistência Social, Infraestrutura e Serviços Públicos e Segurança também detalharam gastos de suas respectivas áreas relativos aos serviços e às obras – como a concessão de benefícios do Plano de Segurança Alimentar aos atingidos pela pandemia e o atendimento aos alunos da rede municipal de forma on-line – além de sinalizarem os projetos elaborados para o próximo exercício.

Receitas 

Do total da receita de 2021, de R$ 2,58 bilhões, 80,8% vêm da arrecadação tributária e das transferências da União (SUS, FUNDEB – educação) e do Estado (IPVA, ICMS). Ou seja, essa é a receita corrente que financia as despesas com a folha de salários e a manutenção das escolas, unidades de saúde, hospitais, guarda municipal, limpeza, conservação e outros equipamentos e serviços públicos da cidade.

O ICMS é a maior fonte de arrecadação da cidade, representando 30,6% do total da receita, seguido do ISS (13,2%) e IPTU (8%), entre outras.

Sob a ótica da despesa municipal, as despesas correntes totalizam 93,3% do total. Pessoal e encargos comprometem 49,8% deste montante e as despesas correntes com a manutenção da cidade ocupam 42,2%.  Os gastos com juros para pagamento da dívida de longo prazo do município ficam com 1,4% do total.

O próximo ano será marcado por uma frustração da receita, ou seja, uma arrecadação menor. A proposta orçamentária de 2021 está sendo elaborada considerando os impactos econômicos na receita, que será menor em torno de R$ 200 milhões do que a LOA 2020.

Os reflexos na arrecadação tributária, porém, só deverão ser sentidos a partir de 2022, segundo o gestor de Governo e Finanças (UGGF), José Antonio Parimoschi, que ressalta que o orçamento é a principal peça de planejamento financeiro da administração municipal. “O maior risco de não realizar as receitas estimadas ainda está no lento processo de recuperação da economia e da velocidade com que as reformas administrativa e tributária saem do papel. Por isso, é necessário manter austeridade total na despesa pública: este é o melhor remédio para combater a frustração de receita e manter as contas equilibradas. Desta forma, podemos assegurar que as prioridades da população, que estão concentradas principalmente nos serviços de saúde, educação, segurança e nas políticas de geração de empregos, possam ter sequência”.

O projeto de orçamento será encaminhado à Câmara Municipal até o próximo dia 30 de stembro; antes disso haverá ainda uma nova audiência pública, para que a população possa continuar acompanhando o processo de construção da LOA.



Comunicar erro nesta notícia

Se você encontrou erro nesta notícia, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente ao Jundiaí Online.


Enviar esta notícia por email

Imóveis em Jundiaí

Apartamentos

Áreas Industriais

Casas

Chácaras

Comercial

Condominios

Fazendas

Haras

Sítios

Terrenos

Anuncie seu Imóvel

O mercado de Aluguel de louças aumentou (e ficou ainda mais qualificado) de uns anos para cá. Um exemplo? Outro dia estava organizando uma lista de materiais que precisariam ser alugadas (Aluguel de louças para festas) para um festa

O serviço de locação para festas esta na zona sul em São Paulo.Sendo do ramo de locação para festas.



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Blog  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2020, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.