Terça-Feira, 17 de Outubro de 2017

21/2/2011 - Jundiaí - SP

SACOLINHAS - Estado chama Apas para conhecer projeto de Jundiaí




da assessoria de imprensa da prefeitura de Jundiaí

O Governo de São Paulo chamou a Apas – Associação Paulista de Supermercados – para discutir a implantação em todo o Estado do programa pioneiro desenvolvido em Jundiaí e que extinguiu as sacolinhas plásticas dos supermercados. O anúncio foi feito na tarde desta sexta-feira (18), durante entrevista coletiva, realizada na Associação Comercial e Empresarial de Jundiaí.

O governador Geraldo Alckmin já havia sinalizado neste sentido, no mês de fevereiro, quando esteve na cidade de Vinhedo, durante abertura da Festa da Uva, daquela cidade. Além do pedido já ser estudado para implantação em todo o Estado, a Apas anunciou que Belo Horizonte será a primeira capital do País a adotar o programa de Jundiaí, a partir de 18 de abril e, Vitória/ES será a segunda, a partir de julho próximo. Jundiaí extinguiu as sacolinhas plásticas dos supermercados, em agosto do ano passado e a coletiva serviu para fazer um balanço de seis meses da campanha. O programa, desenvolvido pela Apas, teve apoio da Prefeitura de Jundiaí.

Nos últimos seis meses, Jundiaí retirou de circulação 480 toneladas de plástico e 132 milhões de sacolas distribuídas em supermercados. Esse é o resultado da campanha pioneira implantada na cidade que pretende extinguir as sacolinhas plásticas tradicionais, substituindo por opções de embalagens retornáveis e métodos alternativos de transporte de mercadoria. A campanha “Vamos Tirar o Planeta do Sufoco”, idealizada pela Associação Paulista de Supermercados (APAS) com o apoio da Prefeitura da cidade, Sindicato do Comércio Varejista e Câmara de Dirigentes Lojistas, mobilizou a cidade e contou com a adesão da grande maioria dos empresários supermercadistas.

O município reduziu em 95% a distribuição das sacolas plásticas nos supermercados desde o início da campanha. Anteriormente, Jundiaí produzia 22 milhões de sacolas/mês, o equivalente a 80 toneladas de plástico filme. O resultado foi possível com as sacolas biodegradáveis, que nesses seis meses já tiveram 12 milhões de unidades vendidas ao preço de R$ 0,19, e também com as bolsas em tecido TNT (um tecido produzido com fibras desorientadas e aglomeradas), capaz de acondicionar até 15 Kg, ao preço de R$ 1,85.


Durante anos, as sacolas plásticas foram adotadas pelos supermercados a fim de atender à necessidade do consumidor. Entretanto, a percepção sobre o quanto o plástico prejudica o meio ambiente - e a demora na decomposição do material (cerca de 300 anos) - estimulou os empresários do setor a procurar alternativas ecológicas.


A APAS pretende expandir a experiência de Jundiaí para todo o estado de São Paulo. No mês passado, a diretoria da entidade se reuniu com o Secretário de Estado do Meio Ambiente, Bruno Covas, para tratar do assunto. Na oportunidade, ficou definido que será criado um grupo de trabalho para desenvolver ações em todo o estado que viabilizem o fim das sacolinhas plásticas nos supermercados paulistas. O objetivo é elaborar um protocolo de intenções, que deverá resultar em projeto de lei para banir o uso destas sacolas. “Essa solução foi a melhor parceria já realizada entre a sociedade civil e poder público”, afirma João Sanzovo, diretor de sustentabilidade da APAS.


No Brasil, são produzidas 210 mil toneladas anuais de plástico filme, a matéria-prima das sacolas plásticas, resultando na produção de 18 bilhões de sacolas. Calcula-se que determinado número dessas sacolas plásticas acabam servindo de lixeiras ou viram lixo, o que representa um volume de 9,7% de todo o lixo do país.


Sobre a campanha


A campanha “Vamos Tirar o Planeta do Sufoco” foi lançada no dia 27 de maio de 2010, na abertura da Eco Jundiaí, organizada pela Secretaria de Meio Ambiente do município, dando início à Semana do Meio Ambiente. O objetivo é engajar o comércio, que tem papel fundamental na conscientização e incentivo à população para utilizar sacolas retornáveis no lugar das sacolas plásticas, as quais estão sendo retiradas de circulação desde 30 agosto de 2010 em Jundiaí.


A coletiva contou com a presença do diretor de sustentabilidade e ex-presidente da Apas, João Sanzovo, pelo vice-presidente da entidade, Edivaldo Bronzeri, por supermercadistas de Jundiaí e por diretores da Extrusa Pack, responsável pela produção das sacolas biodegradáveis e que foram adotadas pelos supermercados da cidade.



Comunicar erro nesta notícia

Se você encontrou erro nesta notícia, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente ao Jundiaí Online.


Enviar esta notícia por email
Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Blog  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2017, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.