Sexta-Feira, 23 de Agosto de 2019

6/5/2019 - Jundiaí - SP

Saúde mental: jovens assistidos produzem vídeo sobre direitos humanos




da assessoria de imprensa da Prefeitura de Jundiaí

O Centro de Atenção Psicossocial (CAPSij) da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS) atende, atualmente, a 722 crianças e adolescentes encaminhados para acompanhamento por Unidades Básicas de Saúde (UBSs), hospital universitário, escolas ou que buscaram o serviço voluntariamente. Desses, 15 participaram de projeto incentivado pelo Ministério da Saúde com o foco no protagonismo juvenil, considerando a participação social, diretriz do Sistema Único de Saúde (SUS), sobre o tema Direitos Humanos e Saúde Mental. O resultado do trabalho – um curta-metragem – será apresentado durante a abertura do V Fórum da Luta Antimanicomial, em Jundiaí, no dia 10, às 8h, no Complexo Fepasa.

O projeto contou com atividades de capacitação sobre protagonismo em congresso na cidade de Florianópolis, além de oficinas e discussões sobre o tema durante seis meses, com encontros semanais no equipamento municipal. Segundo a psicóloga integrante do CAPSij, Luciana Januária Barbosa, o modelo do projeto foi formatado de forma a dialogar com o que chama a atenção do jovem. “Os jovens foram estimulados, a partir das oficinas de vídeo. Eles estudaram o tema saúde mental e direitos humanos, discutiram, desenvolveram roteiros, gravações e a edição. Com esse viés foi possível discutir o protagonismo, a atitude de cada um perante a sociedade, seus direitos em relação à saúde mental”, argumenta.

Bárbara Bertolini, 17 anos, participou do grupo a partir da seleção realizada no Conselho Municipal de Defesa da Criança e do Adolescente (CMDCA). “O curta-metragem foi uma possibilidade de discutir temas construídos a partir de fatos da realidade de cada um, discutidos e apresentados para o grupo. A intenção é mostrar o serviço que existe disponível e que, muitas vezes, não se é acessado por falta de conhecimento”, comenta.

Marcelo Henrique Ribeiro Carvalho, 21 anos, passou por atendimento no CAPSij por quatro anos, por indicação médica por sofrer de ansiedade e depressão, devido transtorno na aprendizagem. Apesar de liberado do acompanhamento há um ano, continuou com o projeto. “Ainda existe tabu em se tratar do assunto saúde mental. Aprendi muito já que tivemos de ler sobre o assunto antes de desenvolver o vídeo”, detalha o rapaz, que vai começar em um novo emprego em breve.

Dos assistidos pelo CAPSij, são derivados de dificuldades e quadros comuns à adolescência, dentre eles, ansiedade, depressão, deficiências intelectuais e questões relacionadas ao uso de problemático de álcool e outras drogas.



Comunicar erro nesta notícia

Se você encontrou erro nesta notícia, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente ao Jundiaí Online.


Enviar esta notícia por email

Imóveis em Jundiaí

Apartamentos

Áreas Industriais

Casas

Chácaras

Comercial

Condominios

Fazendas

Haras

Sítios

Terrenos

Anuncie seu Imóvel

O mercado de Aluguel de louças aumentou (e ficou ainda mais qualificado) de uns anos para cá. Um exemplo? Outro dia estava organizando uma lista de materiais que precisariam ser alugadas (Aluguel de louças para festas) para um festa



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Blog  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2018, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.