Domingo, 19 de Setembro de 2021

20/5/2011 - Jundiaí - SP

Fumas desenvolve plantas de imóveis sem custo para famílias com renda de até três salários mínimos




da assessoria de imprensa da prefeitura de Jundiaí

O sonho de construir a casa própria, com planta personalizada pode ficar distante quando se começa a pensar em valores na hora de contratar um profissional para desenvolver o projeto da casa.

Para facilitar o processo e ajudar o início da vida de muitas famílias, a Fundação Municipal de Ação Social (Fumas) desenvolve, desde 1983, o programa Planta de Interesse Social, que presta assistência nos serviços de projetos, fiscalização de regularizações, construções, reformas e ampliações de imóveis com até 70 m2 para famílias com renda de até dez salários mínimos mensais.

Em 2010, o programa ofereceu orientação para 283 pessoas, contou com 70 processos protocolados e emitiu 20 habite-se. Em 2011 a procura continua. Até o início de maio foram aproximadamente 100 orientações, 49 processos protocolados e sete habite-se emitidos.


Por meio do programa as famílias recebem o projeto básico para a construção de moradia, elabora de maneira personalizada, mediante as características de cada terreno, atendendo à necessidade do proprietário e respeitando as leis municipais pertinentes. Em seguida, a Fundação solicita o alvará de construção para o início da obra.


O agente de transportes Cléber Rogério Cezarino e a noiva, a auxiliar administrativa, Sílvia Fernanda Nogueira, vão construir a sonhada casa própria, utilizando o programa Planta de Interesse Social. “O valor para contratar um profissional é alto, gastaríamos quase dois mil Reais entre projeto e taxas, como nossa construção está dentro dos padrões exigidos pela Fumas, optamos por usar o serviço oferecido pela Prefeitura”, explicou Sílvia.


Após passar pelo plantão social da Fumas, onde é feita a análise sócio econômica das famílias, o pedido segue para a área técnica que elabora o projeto. “O atendimento é personalizado, os técnicos nos ouvem, explicam e oferecem soluções”, comentou Cléber.


Após a conclusão da construção é realizada uma vistoria pelos técnicos da Fumas. “Os projetos devem cumprir as especificações do projeto para que a moradia seja aprovada”, lembra o Superintendente da Fumas, Ademir Pedro Victor.


Após a vistoria, nenhuma nova construção pode ser levantada no terreno antes da obtenção do habite-se do projeto. Ampliações que venham a ocorrer não serão mais de responsabilidade da Fumas, sendo necessária a contratação de um profissional para assinar o novo projeto.


O programa


Podem participar do programa Planta de Interesse Social famílias com renda de até dez salários mínimos. Para ter direito é preciso passar pelo atendimento com assistentes sociais na sede da Fumas, de segunda a sexta-feira, das 8 às 11h30 e das 13 às 16h30. Na entrevista social será avaliada a necessidade da planta de interesse social.


As famílias devem apresentar a escritura, matrícula ou contrato de compra e venda o imóvel, carnê do IPTU recente, com pagamento das prestações em dia, certidão negativa dos dois Cartórios de Registros de Imóveis de Jundiaí e comprovante de renda recente do solicitante e cônjuge.


São realizados projetos unicamente residenciais para construções, reformas, ampliações, demolições, regularizações de até 70 m
2 para lotes particulares, dentro de Jundiaí. Para famílias com renda mensal até três salários mínimos não é cobrada taxa, para as entidades familiares de três a dez salários mínimos a taxa é de 20% da renda mensal.



Comunicar erro nesta notícia

Se você encontrou erro nesta notícia, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente ao Jundiaí Online.


Enviar esta notícia por email



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Blog  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2021, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.